sábado, 20 de setembro de 2014

Administrando Problemas de Relacionamento Interpessoal

É muito comum haver conflitos entre setores nas empresas. O objetivo deste artigo é identificarmos a origem e como resolvê-los.

Quando a organização ainda é muito pequena, uma microempresa, por exemplo, onde todos os colaboradores se conhecem, tem contato visual intenso durante o expediente, tudo fica mais fácil. À medida que a empresa cresce, torna-se necessário delimitar as atividades, que é onde nascem os setores... e começam os problemas.

No início da setorização, subentende-se que a equipe permanece a mesma, porém, criam-se barreiras físicas, que é a primeira dificuldade. Quando não se vê o que os colegas estão fazendo, começa-se a imaginar... e imaginando chegam a conclusões baseadas em percepções. E começa-se a julgar estes fatos, como um e-mail objetivo demais, comentários oriundos de outros colegas e surgem conclusões, como: - Nossa meu colega mudou de área e agora está tão diferente, já não é mais o mesmo. E com o tempo, o que começou com uma chuvinha, se nada for feito por parte da gestão, pode transformar-se em uma tempestade.

A gestão da empresa deve estar constantemente antenada ao clima organizacional. Não é necessário fazer uma pesquisa de clima a cada seis meses, até porque há um custo, e não é nada barato. Quando os gestores estão atentos ao ambiente, escutando os murmúrios, comentários, tom de voz da equipe ao telefone, conversas no cafezinho, sessões de feedback (formal ou informal) há boa chance de fazer um diagnóstico preciso sobre o que está ocorrendo. É conhecido que com um clima de trabalho ruim, quem perde é a empresa, em eficiência, eficácia e até na retenção de talentos.

Pois bem, identificado o problema, vêm à mente a pergunta: o que pode ser feito? A resposta não é única, há várias ações que auxiliam a minimizar significativamente a situação. Falar que vai erradicar o problema, pode ser utopia, desconfie de quem prometer fazer isso.

Para encontrar uma solução, volte à causa! Antes a empresa não tinha estes problemas, porque todos estavam à vista e tinham contato próximo, certo? Pode ser uma boa alternativa criar um programa de intercâmbio entre os setores. O João do Contas a Pagar, irá ficar uma semana na área de Atendimento ao Cliente. A Maria que lá está hoje, ficará uma semana na área de Compras. Haverá substitutos de outras áreas para os dois mencionados acima. Naturalmente, o intercâmbio não poderá ser promovido na empresa toda, com toda a equipe ao mesmo tempo, mas, poderão ser criados grupos com esta finalidade, de acordo com o tamanho da organização.

Esta é uma solução definitiva? Se o programa for contínuo, por exemplo, duas vezes ao ano, com um número X de envolvidos, onde todos, ou grande parte do time, possa participar em algum momento, sem que haja a percepção de que a empresa implementou esta metodologia apenas para os encrenqueioros, há boas chances de sucesso. É uma boa pedida cuidar na forma como conduzir e vender à equipe os benefícios, que são: fará bem à carreira conhecer novos setores, a empresa olha isso com bons olhos; a mutifuncionalidade é algo valorizado nessa organização; enfim, é uma grande oportunidade ser convidado a participar  de um programa como este; a avaliação periódica irá contabilizar alguns pontos a mais para quem participar construtivamente deste processo. E estes devem ser argumentos sinceros e não mascarados, de fato é muito importantes para empresa reconhecer isso.


As chances de sucesso são bastante grandes. Aqueles que participaram voltarão para seus setores e comentarão com os demais colegas o que viram e ouviram. E os antigos problemas de relacionamento? Certamente diminuirão, pois, ao vivo e a cores muitas impressões erradas se desfazem.


Certamente há outras alternativas, como contratar uma consultoria, que irá medir o clima e propor um plano de ação, mas, talvez não seja necessário. Esta proposta é de implementação relativamente simples e requer apenas comunicação adequada para garantir o entendimento dos benefícios junto à equipe. E voltem-se os olhos àqueles que participarem construtivamente... deverão ser valorizados e reconhecidos, de forma sincera!