sábado, 7 de julho de 2012

Não basta planejar, é preciso gerenciar.


Muito se fala no mundo empresarial, da importância de planejar e dos tradicionais Planos de Negócio, porém, na maioria das vezes, estes processos vem acontecendo de forma ineficaz na maioria das organizações.

Na realidade, muitas empresas nem sequer planejam, ou se o fazem, não colocam em prática seus planos. Veja abaixo alguns dos principais motivos alegados para o não planejamento:
  • Não tenho tempo
  • Não sei por onde começar
  • Não sei quem pode ajudar
  • Não preciso de planejamento, sei o que preciso fazer
Há ainda outro fator que contribui para a “falta de planejamento” nas empresas: quando se faz um Plano por escrito, assume-se um compromisso com ele e isso pode gerar um certo “desconforto” por parte dos gerentes e/ou diretores que o elaboraram.

Grande parte das empresas que fazem Planos de Negócios, promovem reuniões para confecção, depois o encadernam de forma impecável e o deixam literalmente arquivado em alguma prateleira, como uma obra prima intocável. Será que valeu o tempo “perdido”? O que está errado nesta forma de planejar? Talvez o plano esteja correto, mas podem ter esquecido de mencionar as táticas para implementação, ou seja, os métodos a serem utilizados para o atingimento dos objetivos, a fim de tornar o plano mais prático e utilizável no dia-a-dia. O Plano de Negócios assim como mencionado anteriormente, tem fracassado também pelos seguintes motivos:
  1. Não prevê obstáculos
  2. Tem uma área de abrangência limitada demais, por exemplo: apenas marketing e vendas, desconsiderando outras áreas da empresa
  3. Não há um processo de gerenciamento adequado para auxiliar a implementação do Plano
  4. Os itens de ação do plano não tem a prioridade merecida
O Plano de Negócios deve ser um documento vivo, acessível a todas as áreas da empresa e manuseado quase que diariamente. O esforço para criar um Plano de Negócios é fundamental, porém, tão importante quanto a sua criação é o seu cumprimento. Não adianta nada criar um plano, deixá-lo arquivado e esperar o final do ano para ver se os objetivos foram alcançados.

Para encerrar uma frase sobre o assunto, proferida pelo general francês Napoleão Bonaparte:

“Se pareço sempre preparado é porque, antes de me lançar em um empreendimento, medito muito e prevejo o que pode acontecer. Não é a inspiração de um gênio, que me revela de repente e em segredo o que devo fazer em circunstâncias inesperadas para outras pessoas; é o pensamento e a reflexão”